Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • 2010
  • Projeto quer desestimular a prática de doação de esmolas

Projeto quer desestimular a prática de doação de esmolas

Projeto quer desestimular a prática de doação de esmolas

Vereador Arly de Lara Romêo

Vereadores de Campinas iniciam um movimento contra a doação de esmolas na cidade. Arly de Lara Romêo (PSB), Sérgio Benassi (PC do B) e Paulo Oya (PDT), estão propondo  instalação de placas educativas nas principais ruas e avenidas da cidade, com orientações à população a não dar esmolas. O objetivo é conscientizar a sociedade de que a prática só traz malefícios aos pedintes.

O projeto de lei começou a tramitar na Câmara e deve ser levado a votação em plenário nas próximas semanas. “A esmola leva a desagregação. Essas pessoas estão em situação de risco nas ruas, na iminência de serem atropeladas, como já aconteceu. As crianças e adolescentes são presas fáceis de traficantes. Se pararmos de dar esmolas, essas pessoas vão sair das ruas”, afirmou Arly.

O parlamentar adianta que o assunto é polêmico, mas que doar esmolas não resolve a questão. Ele afirma que o número de pedintes aumentou nos últimos anos em Campinas. Para se ter uma ideia, em 1997 haviam 150 crianças espalhadas pelas ruas da cidade. Hoje, esse número saltou para 400. “Muitas dessas pessoas estão na rua por comodismo, como uma complementação de vida”, enfatiza o vereador.

Arly faz uma crítica. “A população não tem essa consciência de não dar esmolas. Eles acreditam que o Município não tem programas suficientes para lidar com o problema. Acham que dando dinheiro é uma forma de ajudar o pobre coitado que não tem. Campinas tem o melhor albergue do estado de São Paulo”, disse o parlamentar. 

Texto: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Campinas
Fotos: A.C.Oliveira/CMC

Publicada em 14/05/2010 17h03