Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • 2010
  • CPI das Licitações ouve ex-diretor da Sanasa nesta 6ª

CPI das Licitações ouve ex-diretor da Sanasa nesta 6ª

CPI das Licitações ouve ex-diretor da Sanasa nesta 6ª

Vereador Sérgio Benassi

A Comissão Parlamentar de Inquérito, presidida pelo vereador Sérgio Benassi (PC do B), que investiga os contratos da Sanasa e da IMA com prestadoras de serviços acusadas de fraudes nas licitações, ouve nesta sexta-feira (03/12), o ex-diretor financeiro da Sanasa, Marcelo Quartim Barbosa de Figueira, às 14h, no Plenário da Câmara Municipal de Campinas.

A oitiva estava marcada para o dia 26/11, no mesmo dia em que o ex-presidente da empresa, Luiz Augusto Castrilon de Aquino prestou depoimento, mas a pedido de Figueira, que tinha compromissos naquela data, o depoimento foi remarcado.

Figueira foi diretor -financeiro da empresa durante a gestão de Aquino (2005-2008), que em seu depoimento garantiu que todos os contratos assinados durante o período em que esteve à frente da Sanasa foram aprovados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), Prefeitura e auditoria interna da empresa.

Sobre o caso - Promotores do Grupo de Atenção Especial sobre o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público denunciaram em setembro um esquema de fraudes em licitações de governos estaduais, prefeituras e empresas públicas para contratação de empresas de prestadores de serviços. Este esquema seria coordenado por uma quadrilha especializada em fraudes, encabeçada por José Carlos Cepera, proprietário e suposto administrador oculto de seis empresas, que estão em nome de laranjas, entre elas Infratec, Pluriserv e Lótus, contratadas pela Sanasa e IMA.

As empresas em nome de laranjas venceram centenas de licitações municipais e estaduais nos últimos anos, alcançando cifras milionárias em decorrência dos contratos públicos celebrados que atingem o valor de R$ 615 milhões. As empresas têm contratos, inclusive, com o Ministério Público, Tribunal de Justiça, Sabesp, Prodesp, Governo do Estado de Sâo Paulo e Tocantis, entre outros. Oito pessoas foram presas preventivamente, mas já foram liberadas. Cepera e os outros  presos respondem pelas acusações em liberdade.

A Câmara Municipal de Campinas abriu uma CPI, em meados de setembro, para investigar as denúncias que envolviam as empresas da cidade.

A Comissão é formada pelos vereadores Sérgio Benassi (presidente), Sebastião dos Santos (relator), Jorge Schineider, Artur Orsi, Jairson Canário, Vicente de Carvalho e Professor
Alberto.

Texto e Foto: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Campinas


Publicada em 2/12/2010 14h52