Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • 2010
  • Secretário diz que reenquadramento de monitores é inconstitucional

Secretário diz que reenquadramento de monitores é inconstitucional

Secretário diz que reenquadramento de monitores é inconstitucional

Tadeu Jorge (centro) durante debate


As chances de um monitor educacional ser reconhecido como educador na rede municipal de ensino de Campinas são remotas. A avaliação foi feita na tarde desta terça-feira (30/11) pelo secretario municipal de Educação José Tadeu Jorge, durante um debate na Câmara. Os monitores educacionais que hoje fazem o acompanhamento das aulas, para o esclarecimento de dúvidas, junto a professores e alunos, querem ser reenquadrados como educadores.

Durante o debate, o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Campinas apresentou ao secretário uma lista de cidades que fizeram o reenquadramento da categoria. Entre os municípios, de acordo com a entidade, estão Diadema, São Paulo, Guarulhos, Mauá, Osasco e Santo André.

Segundo Tadeu Jorge “essa mudança não cabe na estrutura da Prefeitura. A Secretaria de Educação não se sente segura para fazer o que está sendo proposto aqui”. O secretário afirma que essas cidades citadas tiveram que revogar as suas leis por determinação do Ministério Público porque ele as considerou inconstitucional.

“A única preocupação é enveredar por caminhos que nos tragam transtornos jurídicos. Mas se houver alguma cidade que não teve a sua lei questionada pelo Ministério Público podemos avaliar. Nada é definitivo. Não é uma questão fechada”, concluiu Tadeu Jorge.

O debate na Câmara foi coordenado pelo vereador Sebá Torres (PSB) e contou com a participação do vereador Professor Alberto (DEM).


Texto e Foto : Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Campinas

Publicada em 30/11/2010 18h09