Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • Maio
  • Embate democrático: manifestações pró e contra emenda anti-ideologia do gênero marcam sessão desta segunda (27)

Embate democrático: manifestações pró e contra emenda anti-ideologia do gênero marcam sessão desta segunda (27)

27/05/2015

Manifestações a favor e contra o Projeto de Emenda à Lei Orgânica (Pelom) do Município que propõe que o veto à ideologia de gênero marcaram a 32ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Campinas na noite desta quarta (27). Apesar de não estar em votação, o Pelom proposto pelo vereador Campos Filho (DEM) acabou virando o centro da reunião em virtude da presença de cerca de 200 pessoas no plenário, polarizadas tanto em grupos que contrariam quanto que apoiam a ideia.

O projeto ainda não tem data para ser votado, contudo na tarde desta sexta (29) ocorrerá reunião da Comissão Especial de Estudos sobre o tema e, às 15 horas do próximo dia 1º de junho, será realizada audiência pública no Legislativo para debater a proposta. Para o autor, vereador Campos Filho, o debate foi positivo. “Não abrimos mão do combate à ideologia, não podemos aceitar esta ideia de que não existam mais os termos meninos e meninas nas escolas e sim crianças, não aceitaremos sanitários conjuntos. Mas esta casa é democrática e vamos ouvir todos, inclusive na audiência pública. Venham pra elogiar, sugerir ou vaiar, a discussão é fundamental.”

Para o vereador Gustavo Petta (PCdo B), é preciso olhar a proposta com mais cuidado. “Sou contra a ideia de não se usar a terminologia menino e menina, pois isso é biológico. Contudo, dentro da proposta do vereador Campos Filho, se propõe a proibição de debates na escola sobre orientação sexual e sobre gênero, inclusive sobre o abuso de um gênero sobre o outro, sobre o machismo. E com isso não posso concordar”, pontua.

Na opinião do vereador Paulo Bufalo (PSOL), o Pelom é alarmista. “Na verdade essa questão de ideologia de gênero não existe, o que precisa existir é a defesa da igualdade dos gêneros. Ao se ressaltar esta história de meninos e meninas, de se colocar a importância da família, a proposta acaba inflamando paixões e não está se discutindo a importância da liberdade e de se debater, sim, nas escolas, os direitos iguais a todos”, opina.

O vereador Thiago Ferrari (PTB), presidente da Comissão de Constituição, Legalidade e Redação, reforça que na audiência pública todos os pontos serão discutidos de maneira aprofundada. “Garanti inclusive aos manifestantes presentes nesta noite, que daremos palavra no microfone a um representante de cada lado para que defendam suas posições.”

Texto e foto: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Campinas

Publicada em 27/05/2015 20h55