Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • Agosto
  • Seis vereadores serão candidatos nas eleições de 2018; confira as determinações da Câmara para os parlamentares neste período

Seis vereadores serão candidatos nas eleições de 2018; confira as determinações da Câmara para os parlamentares neste período

06/08/2018

As últimas convenções partidárias que determinaram os candidatos de cada sigla para as eleições de outubro foram realizadas neste final de semana e um total de seis dos 33 vereadores de Campinas irá concorrer no pleito. São candidatos a deputado estadual os parlamentares Campos Filho (DEM),  Cidão Santos (PROS), Mariana Conti (PSOL) Pedro Tourinho (PT) e  Rafa Zimbaldi (PSB). Luiz Carlos Rossni (PV) tentará uma vaga como deputado federal.

Vale lembrar que na última reunião ordinária Campos Filho optou por pedir uma licença  – inicialmente por 30 dias – para se dedicar exclusivamente à campanha e, na noite de hoje, o suplente Eduardo Magoga (MDB) assumirá a cadeira pelo período. O licenciamento não é obrigatório, uma vez que os vereadores podem cumprir as funções para as quais foram eleitos normalmente mesmo sendo candidatos.

A Câmara Municipal já havia determinado uma série de regras válidas para o período eleitoral, que deverão ser seguidas na Casa:

- É proibida a veiculação de propaganda eleitoral nas dependências da Câmara, exceto nos gabinetes dos vereadores;

- Está liberado o acesso de veículos particulares adesivados com propaganda dos candidatos nas dependências da Câmara; os veículos da Casa, obviamente, não podem ser utilizados para qualquer tipo de propaganda;

- Não é permitido ao vereador fazer uso eleitoral dos pronunciamentos na tribuna.

Vale lembrar que também neste período a TV Câmara seguirá a algumas regras diferenciadas. As reuniões realizadas na Casa continuam tendo transmissão ao vivo – até mesmo porque, perante à lei, tudo o que é dito ao vivo é de responsabilidade do parlamentar. Porém, não haverá as tradicionais reprises nas manhãs seguintes, de maneira a possibilitar a verificação  da reunião antes de levá-la novamente ao ar (apesar de o vereador ser responsável pelo que diz ao vivo, caso ele cometa um deslize em relação à legislação eleitoral e a TV repita a cena, a responsabilidade passa a ser do canal e pode implicar até mesmo na remoção da TV da Rede Legislativa e punições da Justiça Eleitoral).

Desde que não haja nenhuma possível infração à legislação eleitoral, a gravação da íntegra da reunião ordinária continuará a ser disponibilizada no Youtube, no dia seguinte à sessão.   Para que não nenhum dos vereadores candidatos seja privilegiado em relação ao outro, a TV não fará entrevistas nos intervalos regimentais com eles. Nos demais programas os candidatos continuam falando normalmente, desde que sobre suas atividades legislativas, ou seja, como vereadores e não como participantes da disputa eleitoral. 

Por fim, assim como os demais canais em sinal aberto, a  TV Câmara irá transmitir no período de 31 de agosto a 4 de outubro a propaganda eleitoral gratuita.

Texto e foto: Central de Comunicação Institucional da CMC

Publicada em 6/08/2018 08h50