Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • Maio
  • Lei de Diretrizes Orçamentárias é apresentada na Câmara e prevê investimentos modestos e maior concentração no setor de mobilidade urbana

Lei de Diretrizes Orçamentárias é apresentada na Câmara e prevê investimentos modestos e maior concentração no setor de mobilidade urbana

16/05/2018

Com previsões modestas o secretário de Finanças, Tarcísio Galvão de Campos Cintra apresentou os números que devem nortear a vida financeira da cidade para o ano que vem. Com cerca de 5 bilhões e 422 milhões de reais previstos na Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) para 2019, o maior destaque fica para os investimentos na área de mobilidade urbana, especialmente no projeto do BRT (Bus Rapid Transt). 

“Esse é o maior proposta do governo e estamos angariando fundos para que este projeto, que é longo e que vai até 2020, possa gerar mobilidade para a população, principalmente das regiões mais populosas da cidade, que é o caso do Campo Grande e Ouro Verde”, afirma o secretário. 

A previsão é que o setor de mobilidade receba 223 milhões, sendo que 182 milhões são de verbas Federais, proveniente do PAC e 40 milhões de recursos próprios. “Para 2019 a previsão é a conclusão do trecho do Campo Grande I e Perimetral”, afirma Cintra. 

Respondendo aos questionamentos dos vereadores, o secretário revelou que a crise financeira, que assolou o país em 2016 já demostrou indícios de melhora no final do ano passado e que este ano já começou de forma positiva. “Estamos sendo mais conservadores, de forma que a receita real se aproxime ao máximo da receita prevista, este ano estamos trabalhando para, pelo menos, manter todos os serviços e atendimentos, não tivemos nenhum corte e, para 2019 será melhor, continuando a recuperação econômica e aumentos os investimentos”, ponta o representante do Executivo. 

A apresentação foi feita na manhã desta quarta-feira (16), durante audiência pública promovida pela Comissão de Constituição e Legalidade da Câmara, sob a presidência do vereador Luiz Henrique Cirilo (PSDB). O parlamentar falou da importância do processo da transparência de todo o projeto e também da participação popular. “Pudemos discutir os números da previsão orçamentária de 2019 no mais alto nível e, inclusive, com a participação da população que não pôde estar aqui, mas que enviou sua pergunta pelo portal da Câmara”, conta o vereador. 

De acordo com a Lei Orgânica do Município a LDO precisa ser votada até a última reunião ordinária deste primeiro semestre, mas Cirilo adianta ainda que com a realização da audiência nesta manhã, o projeto passará pela análise da Constileg e depois já pode ser encaminhado para a votação. “Vamos designar o relator e analisar tudo de forma minuciosa, analisando as vocações das regiões e sugerindo alterações para que a lei orçamentária atenda o seu papel em 2019”, completa. 

Além de Cirilo, a audiência contou ainda com a presença dos vereadores Jorge da Farmácia (PSDB), Professor Alberto (PR), Campos Filho (DEM), Mariana Conti (PSOL), Jorge Schneider (PTB), Vinicius Gratti (PSB), Nelson Hossri (Podemos) e Marcelo Silva (PSD). 

Texto e Foto: Central de Comunicação Institucional da CMC

Publicada em 16/05/2018 20h40