Ir para o conteúdo.Ir para a navegação

Navigation
  • Agosto
  • Após denúncia de Nelson Hossri, Ministério Público do Trabalho pede que Farmácia de Alto Custo do Estado regularize atendimento até outubro

Após denúncia de Nelson Hossri, Ministério Público do Trabalho pede que Farmácia de Alto Custo do Estado regularize atendimento até outubro

13/08/2019

Após uma representação protocolada pelo vereador Nelson Hossri (Podemos), o MPT (Ministério Público do Trabalho) pediu que a Secretaria Estadual de Saúde regularize a situação da Farmácia de Alto Custo, localizado no bairro Ponte Preta. Pela manifestação do MPT, o governo do Estado de São Paulo tem até 14 de outubro para corrigir ou apresentar um cronograma com prazo para resolver problemas na infraestrutura e melhorar as condições de trabalho e atendimento na unidade.

A denúncia foi feita pelo vereador em outubro do ano passado após receber reclamações de funcionários da Farmácia de Alto Custo, que relataram sobrecarga de trabalho, infraestrutura inadequada e falta de medicamentos para os pacientes. Na época, os funcionários informaram que cada médico chegava a analisar até 250 pedidos por dia, sendo que a unidade conta com apenas três profissionais. Nelson Hossri também já havia encaminhado moções e várias solicitações ao governo do Estado para resolver os problemas da unidade de Campinas.

No despacho, o MPT descreve que as salas de espera não possuem espaço e cadeiras suficientes para os usuários. “Isso gera um desconforto aos trabalhadores, pois os usuários permanecem durante algum tempo na sala de espera sentados ou em pé gerando ruído pelas conversas o que torna o ambiente ainda mais estressante.”

Além das condições precárias da sala de atendimento, a Secretaria Estadual de Saúde ainda terá que regularizar a situação dos banheiros, já que atualmente o público tem apenas dois sanitários à disposição (um feminino e outro masculino), além de apenas um banheiro para deficientes, quantidade considerada insuficiente para o MPT.

Em uma vistoria feita pelo órgão foi constatado ainda que a unidade conta com um mamógrafo e oito veículos parados no estacionamento sem utilização. “Verificado que a maior parte das adequações não foram realizadas, pois se tratam de questões estruturais que dependem da Secretaria Estadual por se tratar de ampliação/reforma ou novas instalações”, conclui o documento.

Para o vereador Nelson Hossri, a decisão é mais uma prova de que a população vem sofrendo com o descaso nas condições de atendimento na Farmácia de Alto Custo. “A Farmácia vem sofrendo com o abandono há alguns anos e nada tem sido feito. Além da falta de remédios, os usuários e os funcionários não têm nem mesmo condições adequadas para aguardar o atendimento. Algo precisa ser feito e, por isso, fiz a denúncia”, declarou.

 

Texto: Gabinete do vereador Nelson Hossri (Podemos)

Foto: Central de Comunicação da Câmara Municipal de Campinas

Publicada em 13/08/2019 13h10